Quem és ? : Tuas mãos ...

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Tuas mãos ...




Tuas mãos
Quando tuas mãos saem,
amada, para as minhas,
o que me trazem voando?
Por que se detiveram
em minha boca, súbitas,
e por que as reconheço
como se outrora então
as tivesse tocado,
como se antes de ser
houvessem percorrido
minha fronte e a cintura?
Sua maciez chegava
voando por sobre o tempo,
sobre o mar, sobre o fumo,
e sobre a primavera,
e quando colocaste
tuas mãos em meu peito,
reconheci essas asas
de paloma dourada,
reconheci essa argila
e a cor suave do trigo.
A minha vida toda
eu andei procurando-as.
Subi muitas escadas,
cruzei os recifes,
os trens me transportaram,
as águas me trouxeram,
e na pele das uvas
achei que te tocava.
De repente a madeira
me trouxe o teu contacto,
a amêndoa me anunciava
suavidades secretas,
até que as tuas mãos
envolveram meu peito
e ali como duas asas
repousaram da viagem.

( Pablo)


Quando minhas mãos tocam as tuas trazem saudade a escorrer pelos dedos. 
Como aquelas folhas rentes ao chão que carregam o orvalho da madrugada. 
Outrora já te toquei, quando em sonhos passas te á minha beira e sussurras te os teus desejos á brisa matinal,toquei nos teus lábios rosados e inspiras te o meu nome. 
Rodei te qual leve remoinho e conheci os teus contornes.
Mesmo em sonhos a saudade visita me 
E de quando em vez voo num voo alto e mesmo lá em cima sigo te. 
E mesmo entre as nuvens conheço o teu olhar, o teu toque, o teu cheiro e o teu peito.
É nele que dou descanso ás minhas idas e aos teus regressos.

( C.)

Sem comentários:

Enviar um comentário