Quem és ? : Agosto 2011

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Pinta me





Pinta me ... com as cores de aguarela.. 
tinta verde, branca e amarela, 
pinta me da cor do amor e retira a da dor, 
pinta com gosto, com audácia,
 pinta alegre, com mão forte, 
pinta na alegria de um bom dia, 
pinta me, pinta me com favos de mel ,
 pinta  a  minha pouca roupa, pinta me a pele...
 pinta me como gostares,
 pinta me com tinta de aguarela...
 pinta me diferente não igual aquela...


C.


Gritos







os gritos das ruas
pegadas no rosto da calçada
riscos no fundo do beco
roupas rasgadas uma mulher nua

fotos empilhadas
ditas recordaçoes
bilhetes ocultos
rabiscados entre tantas emoçoes

alegres risos de velhos
cartas jogadas na mesa
lembranças de um passado modesto
palavras proferidas com a certeza

magoas esquecidas
poetas vadios
panos rasgados
sons de rádios


Tudo te passa
nada te fere
tudo se arranca
nada se abre.

C.




quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Cada




Cada esforço
Cada gesto
Cada palavra delicada
Um toque mais intimo
Um apalpão na escada
Faz que eu não protesto
Uma perdida língua
Um beijo bem dado
Que começa na boca e desagua...
Faz me gotejar
Sê feliz em mim...

C.

Não...



Não tem dia certo
Não tem hora marcada
Não é por ser dia
Não é por ser noite
É porque tens vontade.

C.





domingo, 21 de agosto de 2011

Muitas não




Muitas jóias...não...
Poucas sim... assim não atrapalham.

C.

Sou...




Sou a tua sobremesa...

C.

Se tens...





Se tens algemas...
Por favor... usa as  ...

C.

Sexo é...




Sexo é magia.
Hoje trás me um novo truque.
E, ensina mo ao pormenor, como se fizesse parte do teu plano.
Não me ocultes o principio dele, nem o seu fim.
E faz como assim de ti espero...surpreende me.


C.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Castiga me...





Castiga me ... fazendo me suar.

C.

Quantos...











Quantas coisas fazes tu...
quantos planos tens tu
que pensas da tua vida  dos teus medos e aflições
das tuas pressas e corações
quantas mentes tu tens...
quanto dás por elas...
quantas casas entras e sais
quantas chaves tu carregas
quantas portas e janelas trancas
quantas paginas tu rasgas
e quantas canetas tu gastas a escrever sobre ti mesmo
quantas letras consomes
quantas palavras ficam mudas mesmo saindo de ti
quantas peças de lego ainda ate faltam montar
quantas cartas faltam te enviar
quantas estrelas ficam por contar
quantas magias por completar e fazer
e quantos olhares por organizar
quantas vistas por alcançar
quantas mentiras por acabar
quantas verdades por dizer
quantos ais por dar
quantas queixas por apontar
quantas luas cheias ficam por ver
quantas formas por descobrir
quantos prazeres para desfrutar
quantos beijos por repartir
quantas provas para ganhar
quantos vestidos por desfilar
quantos degraus por subir
quantos segredos por desvendar
quantos bancos por sentar
quantas almofadas por experimentar
quanta pele por sentir
quantos quadros por desenhar
quantas canções por ouvir
quantas coisas por ... fazer
Faz tudo, e tudo hoje , agora , enquanto o teu relógio faz tic tac...
Faz não temas , não te negues...
Faz e ajuda te... refaz a tua vida , os teus pensamentos
ate o teu dia a dia , os teus momentos
cura os teus ferimentos
entrega te  e presta  juramentos
a um ser especial na tua vida,
TU MESMO.

C.


Esta noite...






Esta noite... não me poupes.

C.

sábado, 13 de agosto de 2011

Ama me...




Ama me em qualquer canto...
Mas Ama me.

C.

Escolhe me




Escolhe me e derrete me.

                                                                                   c.

ó vento...



Ó vento...conta me  a minha história 
para que creia que estou viva.



                                                                   C.

A barra...




A barra da minha saia
acaba na beira do mar.

c.

Quero...


Quero que o meu corpo seja brasa até que te queimes.

C.

Não...





Não me dispas...
Hoje come -me vestida.


c.

Nao me...




Não me guardes.
Usa-me.

c.

Talvez..



Talvez esteja enganada...

Apetece.... gritar




Grito apetece gritar... chegar ao cimo ao alto mais além...mas saber que sou alguém... sou alguém.

Agora...






A minhas palavras são como uma pele...
que quero que se encoste a ti...
e que a sintas tão perto ...
tão perto que as palavras rocem na tua pele
e mexam contigo...
As palavras entrem nos teus ouvidos como se fosse a minha língua
que te arrepiem como se sussurra se no teu ouvido.
Sabes aquele encoste suave de pele...
Assim quero passear em ti...
tocando te com leveza
Com alguma delicadeza...
Mas de maneira a que me sintas por perto
muito perto, mesmo sem me conheceres...
Deixa me esfregar em ti....
através e só através das minhas palavras...
Sente me...

C.

Minhas feridas...








Lambe me 
as feridas
nao as cicatrizes
as feridas abertas
lambe me e sara me
preciso sair daqui curada.

C.

Amor...









Amor bem feito...
é aquele que quando acabas...
pensas em começar tudo de novo.

C.

Não me toques...





Não me toques na pele,
Despe me até a epiderme.
Nao me beijes os lábios,
Mexe com a minha lingua.
Não me arrepies por fora,
Arrepia me por dentro.
Não me aqueças o corpo,
Aquece me a carne.
Não me procures com as tuas mãos,
Acha me com os teus dedos.
Não mexas no meu cabelo,
Aperta a minha nuca.
Coloca um memo no local que melhor me saber,
Para que não te esqueças
De lá voltar.
Não me apertes os peitos,
Beija me mais fundo.
Não me procures na cama,
Entre os lençóis,
Cusca me no chão
Ou contra uma parede.
Não me chames pelo nome,
Diz me que me queres
E diz mo vezes sem conta.
Despe os teus preconceitos comigo,
Veste me dos teus desejos e ambições
E dá lhes forma,
E cor.
Enquanto olhas para mim
Não olhes para o lado, não fujas com o olhar
Não feches os olhos
Fixa os em mim.
Mesmo quando me vires louca de desejo
Lembra te que só estou assim
Porque me fazes bem.
Levanta o teu ego de macho e deseja me
E consola te em meus braços.


c.