Quem és ? : Quantas vezes...

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Quantas vezes...




Quantas vezes...
a seca do meu ser
me matou...
Não vês como me desfazes,
como fico sem saber viver,
que tudo o que eu fiz , o teu vento levou.~
O que resta?
O que ficou?
o que sobra, ou o que sobrou?
Como o cheiro de uma flor
como o riso
de um narciso
como a sua cor amarela
eu tenho o que não preciso
Queria ser a tua estrela
mas vivo presa como numa trela
presa aos sentidos
sem sentidos
presa aos medos
bem medidos
presa a um coração
sofrido e  magoado
pela cor e pelo sabor
aguenta ser desprezado.
Passa a mão no meu cabelo...
Passa a mão no meu rosto...
Sentiste que estou aqui?
-Sim , senti.
-Então mentes,
ao dizer que me sentes...
Porque na tua caricia
não estou acordada
estou como que desmaiada
desacordada para a vida
Isto tudo no meu mundo
quando entra a  minha mascara
quando  ninguém me  vê
quando ninguém está perto
as palavras voam
como folhas em dia de temporal
voam para o norte
para o sul não pedem permissão
se no oeste estão agora
a noite estão no litoral
Mas não entram em teu coração.
É como se tivesse fechado
para mim...para a tua família...
para o que DEUS te preparou.
Rejeitas com a cabeça
rejeitas com as duas mãos
rejeitas e fechas a porta nas tuas costas
as bênçãos que ELE te ofertou.
Por isso meu ser,temeu... e se afastou.



C.

Sem comentários:

Enviar um comentário