Quem és ? : Um Delírio

domingo, 9 de janeiro de 2011

Um Delírio




Que bênção tem a árvore em que estás sentado
pela tua presença , o teu silencio , o teu cheiro
que bênção o céu que não esta limitado
a te ver por entre o aguaceiro.

Levantas te e ouves um barulho
eu me afasto aos poucos
para me esconder ...nas águas mergulho
mas vês uns salpicos

Que vergonha sei voar 
mas não me sei esconder
não me quero levantar
tenho medo de te ver
E com uma voz tremula
e doce oiço: - És tu?
fiquei presa como numa gaiola
e te ouvia: -És tu?
Achei que não tinha desculpa
algo inventado , ali na hora
era minha  a culpa
e ouvi ele a ir embora
Quando penssei que estava só
levantei -me estava toda encharcada
minhas asas davam dó
mas não tinha sido encontrada 

Antes de sair daquela lagoa
chorei,e te soprei um recado em pensamento 
não fiques com mágoa
-Quero tanto  estar a teu lado...


Sem esperar ,naquela hora
ouvi  bem junto ao meu ouvido
-Eu também, quero estar a teu lado
que voz tentadora...

Era  a tua voz
tremi muito...
baixei o meu rosto
deitei uma lágrima 
pois quis levantar voo 
em vez de te olhar,
e naquela hora que dei
o impulso para voar
a tua mão me segurou...


 e sussurraste 
-Fica.
Podias dizer tanta coisa
tanta palavra grande
filosofa, astrológica
cara, difícil de entender
mas não...
Com um simples Fica
Aquele Fica 
foi como um tiro
nas minhas pernas
porque fraquejei
o meu corpo 
já não sabia onde estava
perdi me naquele
Fica


De olhos fechados
sem conseguir me mexer
Fiquei
quando viste que amoleci
ficamos frente a frente
ali no meio do lago
não te via 
porque meus olhos 
ainda estavam selados
mas sentia o teu 
respirar na minha frente
estavas ali
estavas tão presente
afastas te o cabelo molhado
do meu rosto
porque querias me ver.
Quando a tua mão
passou no meu rosto
a minha  face rodou
senti aquele carinho...
Acho que naquele momento
deveras acreditas-te 
que eu estava ali.
 A música que convidava 
o momento
estava a chegar

 

                                                               e começou a cair em nós 
                                                                        uma chuva
                                                          senti que caia como uma bênção.
                                                                            .........
                                                                 e , abri o meus olhos ...
 e vi -te ali á minha frente, bem ali 
e nos abraçamos
forte, nos abraçamos 
e respirávamos forte 
como que agradecendo 
um ao outro pelo momento

-Estás  aqui...( disseste tu)
Eu disse : 
-Não...não estou...
-Moça fica...
Apenas sou fruto da "tua minha"
imaginação, nada mais
Mentia , mentia  a cada letra que saia dos meus lábios trémulos
menti- te , menti- te, menti -te....
Agarras- te o meu pescoço
com  fúria, com desejo de um beijo
e me levas-te até junto dos teus lábios
encurralas-te-me entre a tua 

                                                       
                                                      mão firme no meu pescoço                                                                     
e a tua face molhada 
e deliciosa
e .. beijámo- nos
e foi tão bom...
Melhor do que nos meus sonhos
Melhor do que nas minhas fantasias
foi silencioso e quente
brincamos com os lábios e línguas
como se já fizéssemos aquilo á anos
como se fossemos cúmplices...
A minha mão passou na tua face , te acarinhei...
mexia no teu peito molhado, na roupa molhada...
 Não tinha mais como te agarrar
estava como que aflita,ansiosa
ofegante, 
E tu me amassavas
com os teus braços fortes
parecias me proteger...
Segurei de novo no teu rosto, 
fiz com que olhasses para mim
olhos nos olhos
e tirei as minhas asas

segurei te pela cintura e arranquei te a camisa
o teu corpo estava me a obedecer, enquanto nos olhava mos
tirei  eu mesma minha blusa
e desabotoei as tuas calças
e tu só me olhavas 
e a chuva caía
a musica tocava 
no ritmo e no som 
ideal
porque conseguia te ouvir respirar
coloquei minha mão nas tuas calças e..
fui malandra
encostei os meus seios 
molhados no teu peito 
descoberto
e suspiras te
e com um sorriso maroto
te apalpei o rabo e te beijei
como uma louca
como se não fosse viver mais
depois daquele momento
te beijei
te apertei, as minhas mãos 
caminharam nas tuas costas
e me deitas te no lago
 Não pensamos 
Quem  éramos
Não nos lembrávamos onde estávamos
Tu só pensavas 
" ela ficou"
E eu pensava
"ele me pediu para ficar"
 Tu feliz porque eu fiquei
E eu louca,  porque me pediste 
para ficar, queria dizer que me querias
algo que não sentia á tanto tempo
Ser desejada
Ser apreciada
Ser " bem vinda" na vida de alguém.
Deitaste me com tanto cuidado no lago
fiquei metade na água 
metade na força do teu braço
e eu me deitei e desfrutei 
da força daquele momento
a chuva nos batia
como que aplaudindo,
aquele momento, nos nossos corpos.
Levantei a minha perna e me enrosquei em ti,
  E senti -te duro e desejoso de me conhecer
Toquei te e te guiei a mim
Todo o meu  ser se arrepiou
com a delicadeza, com  a paixão
e ali ficamos a nos conhecer.
Sem pressas
Sem relógio
Sem tv
Sem ninguém por perto
Sem medos
E fizemos juntos 
Eu te puxava para mim com as minhas pernas
e tu me mordias o lábio 
e eu sorri.
Com a tua mão me abraças -te e disses te
-Eu sabia que o teu sorriso era meu.
aiiii , elouqueçes me com as tuas palavras
Saí da agua 
assustas te te 
e disses te .
-Não o devia ter dito?
Eu voltei me  para ti e arfando
te empurrei até  caíres na água.
 Sentei me  no teu colo
Te olhei nos olhos e me perdi
disse te-
-O meu sorriso estava perdido
e de tanto o chamar enlouqueci,
porque demoras te tanto 
a chegar a mim?
E bebi a 
água que caía da tua boca
e beijei o teu pescoço,
e chupei a tua orelha molhada e beijei o teu ombro
e senti os teus braços a tremer
e perguntei , bem perto do teu ouvido...
posso?
e tu me agarras te as nádegas
me levantas te um pouco 
e me penetras te 

fui subindo e descendo 
e foste desfrutando
da cor dos meus seios molhados
no escuro , com o brilho da lua
e estavas embevecido.
E eu caprixei
nos movimentos 
E fui caprixando
 E tu desfrutavas ...
e te pedi :
-Não te controles...
explode dentro de mim...
Foi um pedido,
mas mais parecia uma ordem
pois na hora explodiste e me seguraste
e me trincaste e tremeste...
o mundo parou para nós dois
e ficamos ali... 
e ficamos abraçados
Até que... a chuva parou
E foi como um clique ...
ambos nos lembra mos
de nós
de onde estávamos.
E eu me levantei do teu colo
Ajuntei a minha roupa 
E me vesti 
Tu parado olhavas para mim
a me vestir
E num gesto de não querer ver o que ia acontecer dali a 5 minutos 
vestiste as calças encharcadas
e quando ias a fechar os botões
viste me a pegar nas asas e
em meio segundo correste para mim e   me seguraste 
no braço e com o teu olhar 
disseste tudo
mas a tua voz não se prendeu
-Não te devia pedir, 
mas não suporto ver-te ir...
Fica , fica, fica
e conforme me pedias
me beijavas
eu não conseguia responder
estavas a drogar me com beijos.
-Não dizes nada?
não queres responder?
Não sabias tu que naqueles minutos
voei á minha terra cheia de pressa
pisei o chão com as pontas dos meus pés
e levantei a cabeça
abri os meus braços
e me despedi
do meu país.
e entre um beijo e outro
te disse...
-Pergunta de novo, tesouro.
Fica (beijo), fica comigo...
respondi te
-Só com uma condição.
-Qual ? Pede.
e me olhas te 
-Só se for para sempre...
sorriste e disseste 
-Moça, para sempre é muito tempo.
- Eu sei , por isso mesmo............
 A tua condição  foi aceite...
Posso fazer uma também?
-Podes.
Que não uses, mais as asas , tenho
medo que fujas de mim...
Eu só ganhei asas
quando precisei vir ter contigo
agora que aqui estou não preciso delas...
Mas espera...
onde vais , que vais fazer?
espera confia em mim, espera aqui...
e coloquei as asas e subi na árvore
onde te vi sentado
e subi ao seu cimo e cortei 
dois fios dos ramos dela e sentei me la em cima
tu foste ao meu encontro e dizias 
que se passa ....
Calma ... estou a ir...
arranquei duas penas das minhas asas
 e fiz dois colares
e começas te a ver penas a cair


 era eu a desfazer as asas...
desci  da árvore...
e disse...
tu deste me uma chave 
e eu vim
e eu nunca te dei a minha
toma .... ( coloquei o colar no teu pescoço)
agora temos uma só chave
abriremos juntos as mesmas coisas...
e findas te com as tuas poucas mas boas palavras...
que bom...começa mos bem...
-Porque?
-Porque já abrimos a porta do tempo, " para sempre".




c.
(espectacular)















Sem comentários:

Enviar um comentário