Quem és ? : Parabens...perdeste-me

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Parabens...perdeste-me





Pediste-me um presente
queria me dar a mim
mas não posso estou ausente
do lugar onde nasci.

Coloquei -te na minha mão
e te levei ao mar
abri meu coração
e começas te a voar

Perdi te?
não o sei
pois ....algum dia te tive?
não sei não.

-Olha... dói aqui.
-Onde?
-Aqui, dá-me a tua mão
aqui ,onde o meu coração faz
bum bum bum.

-Doí?
-Doí...
-Porque?
-Porque o partiste.
-Parti?

-Sim...
-Como ?
-Quando não me ouviste,
quando não me quiseste
quando não reagiste
quando não me escolheste.

Adoeci, amor , adoeci
Nem te apercebeste
que desfaleci
nem me atendeste
quando me ofereci.

Fiquei como que jogada
na rua , no chão
esperando que alguém me desse a mão.
E derão...
e derão mais que a mão
deram vida.

Partilharam historias
mesmo quando estava adormecida.
Cresceram memorias
que jamais me vão tirar.

Criaram em mim
factos que de nada
se podem chamar vulgar.
Coisas que te envergonharias.

Nada para ti é interessante...
Nem me tomares como tua amante
nem o eu  com coisas simples
nem o  eu  berrante
nem o eu cintilante
nada , de nada
achas interessante....

-Mas eu acho coisas interessantes.
-Achas?O que querido conta -me.
-Um lugar calmo, sem barulhos,
um jogo de futebol, um bom filme,
agente encostados no sofá sem os filhos.

-UMMM Deveras interessante, sim.
-E tu que achas interessante?
-Bem , acho tanta coisa interessante...
o som do mar
as gaivotas a voar
uma criança a sorrir

um velhinho a agradecer
uma estrela a brilhar
um bebe a nascer
um beijo mandado ao ar

um abraço no meio da rua
uma brincadeira com a lua
um abanar de uma flor
um copo diferente
um sabor que muda de cor

um carinho derrepente
ver em nós o amor
ser dor sem dor
um vestido justinho
um convite ao levantar

uma corrida na areia
na esperança de no chão acabar.
uma lingerie azul,
de um  folho
um caminho para o sul
o orvalho

a água mansa
a esperança
a cor da festa
a floresta
a dança
tanta coisa R.
tanta coisa que eu acho interessante
mas...

-Mas o quê?
-Tudo isto , sem ti... perde o interesse...
-Porque ? Eu não posso ser a razão da tua vida
tens que ter vida própria, tem que ter gostos.
Ter luta,
luta luta por ti não por mim
luta.. pelas tuas coisas.
pelo teu querer, não faças nada por mim, faz por ti.

-Ahh?
-Sim ...
 - Se todos estes anos
foste o meu sal....
apercebi me agora
também foste o meu mal.
Presente?
Não te dou a mim, porque
estou ausente de onde nasci.
Tu roubaste me...
e abandonaste-me.
Por tua causa apodreci.





C.

Sem comentários:

Enviar um comentário